Sistema de Submissão de Resumos, II ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - 2012 (ENCERRADO)

Tamanho da fonte: 
Projetos urbanos e ferrovia: impactos das operações urbanas sobre o transporte ferroviário
Marina Santos Jardim Lopes, Silvia Helena Passarelli

Última alteração: 2012-11-12

Resumo


O impacto da implantação ferroviária foi imediato ao desenvolvimento urbano da capital paulista. A cidade assistiu a uma total alteração de sua paisagem, se espalhando além da colina entre os rios Tamanduateí e Anhangabaú, com a implantação de novos loteamentos a partir do parcelamento da chácara do Chá, por volta do ano de 1875, e com a formação de novos bairros para abrigar a elite do café.

A orla ferroviária, originariamente área nobre da cidade, local de chegadas e partidas e de instalação de empreendimentos comerciais e industriais, tornou-se, no final do século, deteriorada em vista do processo de dispersão da indústria e do esvaziamento da área central.

Visando reverter este processo de deterioração e subutilização, vários investimentos de melhoria do transporte urbano sobre os trilhos foram implantados desde o início do século XXI. Apoiado nos instrumentos urbanos aprovados pelo Estatuto da Cidade, a Prefeitura de São Paulo propôs a implantação de operações urbanas ao longo da via férrea, a partir do aproveitamento da infraestrutura urbana ali implantada e da transformação da paisagem local. Atualmente, três operações urbanas estão em discussão ao longo da antiga Estrada de Ferro Santos-Jundiaí: Operação Urbana Nova Luz; Operação Urbana Lapa – Brás e Operação Mooca – Vila Carioca.

A pesquisa teve como objetivo identificar os impactos da implantação das operações urbanas estudadas na região em que elas estão inseridas, visando identificar como tais projetos contribuem para a melhoria da justiça ambiental e inclusão socioespacial. Para tanto, o estudo foi realizado principalmente análise bibliográfica publicada em livros e revistas e documentos da Prefeitura de São Paulo, além de visitas às regiões estudadas, para uma visão mais apurada da realidade local.

A análise dos projetos permitiu verificar que os projetos das operações urbanas não foram realizados de forma integrada, embora realizados em área contígua. Verificou-se, ainda, em todos os processos que a renovação urbana se dá pela exclusão da população mais pobre.

Algumas questões específicas de cada Operação se põe à mostra, como por exemplo, a falta de política voltada para a questão das drogas, na Nova Luz, que engloba a região conhecida como Cracolândia, e a intensa verticalização na região da Mooca, já saturada de imóveis vazios e em fase de decréscimo populacional, e a falta de explicações sobre como ocorrerá o enterramento do trecho ferroviário na região da Lapa.